quinta-feira, 17 de abril de 2008

Aletria Doce

Sempre adorei a Aletria Doce, sobremesa popular nortenha quase desconhecida no Sul, onde o Arroz Doce é rei.
Não sou do Norte nem tenho raízes nortenhas mas gozava na antecipação desta sobremesa que apreciava ainda mais dois ou três dias depois, já transformada numa espécie de pudim com uma carapaça meio seca pela canela e o passar do tempo.
Depois de adulto, em cada visita ao Porto, nunca deixava de aproveitar esta delícia que era ainda muito comum nas cantinas da zona do Bolhão, nos restaurantes dos Congregados e nas tascas da Campanhã.
Hoje vai rareando, ainda se pode encontrar na zona da Ribeira mas o espírito já é outro, tornou-se num doce com carga cultural e etnográfica, uma curiosidade bem paga e, claro, já bem pouco popular.
Mas podemos sempre fazer este doce em nossa casa, para mais é simples e rápido e, vá lá, este não tem nenhuma complicação escondida e sai sempre bem!


Ingredientes:

250g de Aletria fina
250g de Açúcar
1 litro de Leite
6 gemas de Ovo
1 pitada de Sal
Canela em pó

Preparação:

Ponha o leite ao lume e, quando ferver, parta as meadas de Aletria para dentro, mexendo para que os fios se não peguem. Adicione a casca de um limão, a pitada de Sal e deixe cozer a massa 6 -8 minutos.
Adicione o açúcar, mexa, deixe ferver em lume brando mais uns poucos minutos (depois do açúcar a massa já não coze mais), retire do lume e adicione as gemas, já desfeitas e misturadas à parte com um pouco da massa, para não fazer fiapos cozidos.
Se achar que está muito líquido, pode levar de novo ao lume, mexendo sempre, para engrossar as gemas. Deve ter em conta, no entanto, que a Aletria Doce engrossa muito ao esfriar.
Retire a casca de limão, vaze numa travessa baixa ou em taças ou pires, deixe amornar e polvilhe com Canela em pó.

Notas:

Esta é a versão "rica". A versão "pobre", que é a que prefiro, faz-se com 350g de Aletria e apenas com 2 gemas. Fica mais dura, menos cremosa.
Em qualquer delas, o preceito manda escaldar a massa em água a ferver em cachão, escorrer e passá-la então para o leite, aparentemente para evitar que se pegue. Pessoalmente, partindo as meadas na mão ao introduzir, nunca tive esse contratempo, pelo que não sigo o preceito e dá excelente resultado e menos trabalho.
Use a Aletria mais fina, em meadas. Existe agora uma versão que, depois de cozida fica quase como esparguete e que é uma lástima para isto.

2 comentários:

ana disse...

Esta receita eu faço-a muito bem!!!A minha tia ensinou-me e hoje consigo fazê-la quase tão bem qto Ela..pessoalmente gosto mais da aletria rica,leva muito leite sim,mas muito cremosa.Todos cá em casa adoram.

Nuno disse...

1 litro de leite é pouco para as 250 g de aletria, tive que adicionar mais leite.