quinta-feira, 10 de abril de 2008

Entrecosto com Morcela da Guarda

As Morcelas da Guarda, apesar de requererem alguma "endurance" digestiva são autênticos monumentos à arte ancestral dos enchidos beirões. Feitas sabiamente na época de matança (agora já há todo o ano), com sangue, carnes gordas, pão e cominhos, estes enchidos frescos podem ser a alma de magníficas refeições, cozidas, fritas ou assadas, caso desta que aqui deixo e que se comia uma vez por ano em minha casa, oferta de alguém que já esqueci mas que nunca se esqueceu de partilhar com a nossa família esta morcela inesquecível.

Ingredientes:

1 Morcela da Guarda
1 kg de Entrecosto
4-5 dente de Alho
2 folhas de Louro
Sal e Pimenta
2,5 dl de Vinho branco
2 colheres de sopa de Banha de Porco
Batatas novas
Grêlos de Nabo

Preparação:

Peça para cortar o entrecosto em tiras transversais às costelas, com a serra eléctrica, para não ficar cheio de esquírolas de osso, com cerca de 2 dedos de largo. Em casa, corte então entre cada osso, fazendo assim uns cubinhos, cada um com o seu pedaço de costela. Tempere em vinha de alhos de um dia para o outro.
Frite prolongadamente o entrecosto na banha, adicionando a marinada ao longo da fritura.
Quando estiver bem cozinhado, ponha o entrecosto num tabuleiro de forno (se tiver,de barro)à volta da morcela e regue esta com o molho da fritura do entrecosto.
Forneie em lume médio durante 45m a 1 hora, o que depende da espessura da morcela. Há morcelas que são quase como bolas, feitas em tripa larguíssima e outras pouco mais grossas que chouriços. Para as mais grossas pode levar mesmo uma hora e meia e para as mais finas 30 minutos chegam. Durante a assadura a morcela rebenta, o que é normal.
Se durante a assadura os pedaços de entrecosto começarem a ficar secos e duros junte um pouco de vinho branco ao molho que se formou e dê uma volta aos pedaços, para molhar.

Nota:

Sirva com batatas novas cozidas com casca e com grêlos de nabo cozidos, que ficam óptimos para cortar a gordura do assado.
Faça isto para almoço, se houver estômagos fracos umas Rennie dão jeito...

7 comentários:

cupido disse...

Bem, que belo tratamento para a morcela (o meu pai faz umas morcelas fantásticas, um misto de chouriço de vinho, com pão, mais sápidas que a maior parte das que tenho comido na zona da Guarda, portanto são "primas"). Costumo degustá-las cozidas e efectivamente acompanhadas de batata cozida e grelos, às vezes num belo cozido, grelhadas, mas com o requinte do entrecosto à volta, nunca me tinha lembrado; bela combinação...

anna disse...

Acredita que também não conheço estas morcelas? lol!

Marizé disse...

Conheço um chouriço com cominhos do Alentejo a que a minha avó chama-va apenas de choriço preto, aqui no Ribatejo de vez em quando aparecem uns "primos" chamados de chouriço mouro.

LPontes disse...

Olá Marizé,

Estas morcelas da Guarda não são parecidas com o chouriço mouro. São um produto crú que não pode ser comido assim pois é uma pasta mole arroxeada que tem mesmo de ser cozinhada.

Gosto muito desse chouriço mouro, que uso só, mas sempre, nas favas.

Bom fim-de semana

luís Pontes

edinha disse...

Gosto muito de morcela :)
Esta receita que junta entrecosto com a morcela deve ser qualquer coisa de bom :)

patricio branco disse...

boa ideia para almoço de domingo de inverno. Os grelos ou esparregado são importantes, para compensar com vegetal a carne e a gordura. Se não fossse demais, diria que umas batatas fritas aos palitos grossos seriam o acompanhamento ideal.
Uma vez de vez em quando, não é abuso nem faz mal.
Para estomagos mais rebeldes, um omeprazol uns minutos antes de ir comer

Jorge Ramiro disse...

Muito obrigado por compartilhar as receitas para que todos possam comer refeições deliciosas. Eu gosto de cozinhar e adoro comer. Eu amo comer alimentos ricos. Eu gosto de comer todas as refeições. Mas eu cozinho bem, Há um lugar chamado kosushi preparam a boa comida . Mas também vejo receitas na internet e eu faço minha própria comida japonesa. Mas comida japonesa preparada pelo japonês é mais rica.