sexta-feira, 28 de Março de 2008

Coração de Cebolada

Quando hoje se olham os balcões do Peixe e do Talho não se percebe que, ainda há poucas décadas, peixe é que era comida de pobre, acessível a todas as bolsas em quantidade, qualidade e variedade. Ao contrário, com a carne já havia que fazer "ginástica" para não se ficar metade do mês a comer bacalhau!
As vísceras, baratas, eram muitas vezes a solução para se chegar à proteína animal terrestre e a enorme inventiva que o pobre sempre demonstrou para transformar em iguaria aquilo de que dispunha, criou pratos magníficos que povoam a nossa cozinha tradicional popular e que o novo-riquismo parôlo "filet mignon" tende a empurrar para um esquecimento que, de todo não merecem.
A carne obtida do coração, quer de porco, quer de bovino, tem características dietéticas únicas de baixíssimas percentagens de gordura. Realmente, é possível compor uma refeição de coração, cheia de molho "pecaminoso" com, na práctica, calorias nulas. É caso para poder dizer, com propriedade, que se pode emagrecer ... a comer!


Ingredientes:

1 Kg de coração de porco ou bovino
1 cebola grande (ou 2 médias)
3 dentes de alho
1 folha de louro
3,5 dl de polpa de tomate
50 g de banha ou 0,5 dl de Azeite
Vinho Branco
Sal
Pimenta moída

Preparação:

Peça para fatiar a carne em "iscas" finas. (Se quiser fazer a versão dietética, rejeite as aurículas, na parte superior do coração e onde se acumulam externamente gorduras, de resto bem visíveis. Nessa versão, substitua o azeite indicado por uma colher de sopa de azeite).
Faça uma marinada (vinha de alhos)com a carne, sal, pimenta, louro, alhos, tudo coberto de vinho branco. Deixe algumas horas ou de um dia para o outro.
Refogue a cebola picada grosso com o azeite ou banha. Quando a cebola estiver a começar a alourar, junte o tomate em polpa e depois a marinada. Tape.
Deixe cozinhar em lume brando até a carne estar tenra, o que depende da sua origem. Conte com 45 minutos para o porco, cerca de 1 hora para vitela e um pouco mais para vaca. Durante esta fase pode acrescentar aos poucos, mais vinho branco, se vir que o molho está a ficar demasiado espesso. Prove e rectifique sal, no fim.
Serve-se tradicionalmente com batatas cozidas temperadas com o molho grosso e forte da carne. Este acompanhamento é detestado pelo público mais jovem, que pedirá, é claro, arroz branco, puré de batata ou batatas fritas, o que também não vai nada mal.
Se fez esta cebolada pela versão dietética, acompanhe com bróculos ou couve-flor ou courgette mal cozida, sempre temperados com o molho.

8 comentários:

Elvira disse...

Confesso que a textura espongiosa do coração - e o cheiro, até - não me seduz minimamente (tenho lembranças horríveis de infância, quando me forçavam a comer disso), mas essa maneira de o preparar até me faria quase mudar de ideias...

risonha disse...

eu gosto muito de coração, faço muitas vezes cortado em pedaços guisado com arroz.. fica um arroz muito escurinho.
e também gosto de comprá-lo tipo "iscas" e grelhar. embora fique um pouco rijo, depois corto-o em pedacinhos e tempero com alho, azeite, vinagre e salsa.. é uma maravilha.
adorei esta sua versão de cebolada, mas como sei que é contra o copy/paste nem me atrevo a copiar a receita... fico só imaginando o sabor!

anna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
anna disse...

Lembro-me muito bem do coração de cebolada que a minha mãe fazia e que, para nós, era um belo petisco.
Nunca mais comi, nem sei se conseguiria reproduzir aquela textura tenra/macia/firme (era mesmo assim, em simultâneo).
Obrigada pelo seu comentário lá na minha cozinha, foi muito simpático...

edinha disse...

Adoro coração e gostei imenso desta receita.

claudia disse...

Eu adoro coração..adoro!adoro! Este deve ser muito bom!

Eduardo Luz disse...

Eu também gosto bastante da fibrosidade do coração.
O post está pronto. Vou revisar e devo colocá-lo amanhã. Abs.

AMIGO disse...

Muito bom. Molho grosso e saboroso. Vai bem com um cabernet.
Parabéns!